A estupidez governante no Rio Grande do Sul prepara mais uma

Depois de tantas bizarrices, o Governo do Estado do Rio Grande do Sul agora ataca nossa História! O Acervo da Luta contra a Ditadura, que guarda importantes documentos sobre o regime militar, corre sério risco de ser fechado. A documentação, em litígio, pode vir a ser dividida (e assim desmembrada) entre três secretarias: Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, e Cultura.

A Secretária de Cultura do Rio Grande do Sul, Mônica Leal, é filha do Coronel Pedro Américo Leal – que foi chefe de polícia durante a ditadura, e ainda afirma que em 1964 aconteceu uma “revolução democrática”. É preocupante que documentos importantes sobre a ditadura militar de 1964-1985 fiquem aos cuidados da filha de um agente da repressão.

O ato do Governo de desmembrar a documentação, se consumado, será uma vitória do verdadeiro autoritarismo (o que nossa imprensa não divulga, preocupada em malhar Hugo Chávez), e uma derrota da História.

Ah, não custa nada lembrar: a Secretária de Cultura é a mesma que apóia a realização de um “baile nacional de debutantes” para “resgatar os valores da família”. Leia mais aqui.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s